Protesto de organizada vai muito além das quatro linhas

20:48:00

Que o torcedor palmeirense está fulo da cara com o desempenho da equipe nos clássicos diante do Corinthians. E que existem insatisfações com algumas atutudes do Roger Machado. Mas afinal de contas, o real problema do Palmeiras é o treinador? Há questões de cobranças de alguns jogadores que não rendem o que podem? SIM! Mas há um teor político muito forte por trás disso. E eu tive muito cuidado em me informar sobre, com pessoas ligadas a Mancha Verde - fizeram parte ou fazem parte dela -. Serei o mais breve e objetivo nas explicações dos fatos a seguir.

Caso o novo estatuto político do Palmeiras seja aprovado, o presidente terá ao invés de dois, três anos de mandato, podendo ser elegível após quatro anos como conselheiro(a) do clube, podendo se reeleger para mais um mandato de três anos. Atualmente são dois anos de mandato com a possibilidade de renovação por mais dois anos. Além de ser atualmente elegível após doze anos como conselheiro.

E o que a Mancha Verde tem a ver com isso? SETE conselheiros fazem parte da organizada citada, e todos são favoráveis ao mandato mais longo. Por que? Leila Pereira seria beneficiada com a nova regulamentação e poderia se tornar elegível para o mandato do triênio 2020-2023. Com isso, a Mancha se sentirá e ganhará muito mais poder político e econômico no clube - tendo respaldo de Leila Pereira & CIA. (Exemplo: Paulo Serdan que tanto corneta a gestão Maurício Galiotte, poderia ser candidato no novo formato de pleito. Ele ou quaisquer conselheiros com 4 ou mais anos de conselho). Organizada a qual já é favorecida, e não é pouco. Não incluo o montante cedido pela banca de crédito para o Carnaval. E sim, algumas 'regalias' ofertadas a organizada.

Conforme apurado por este que vos escreve, desde o ano passado, intensificou-se o movimento de Leila em incentivo$ para membros irem a jogos, com descontos em caravanas.O que estreitou ainda mais os laços entre Crefisa-Mancha.

Segundo pessoas ligadas a organizada, viagens recentes para jogos, levantaram suspeitas entre os torcedores. Contra Atlético-PR pelo Campeonato Brasileiro, alguns torcedores viajaram de São Paulo até Curitiba, com todas as despesas pagas pela Crefisa. Digo, pela grana repassada pela empresa aos gestores da Mancha.

Isso ocorreu na partida contra o América-MG em Belo Horizonte, e de forma mais acentuada na partida contra o Boca Juniors, na Argentina. Na viagem a Buenos Aires, cerca de 25 pessoas (segundo três outras fontes disseram) tiveram ou 'descontos' no ingresso e viagem, ou viajaram com tudo pago pelo $ingelo apoio.

Ainda segundo fora apurado, alguns diretores de sub-sedes mesmo se mostrando contrários ao movimento Anti-Roger Machado. Um deles chegou a afirmar que Leila Pereira através de um lobby, estaria fazendo uma campanha política forte, por interesses presidenciais e econômicos do clube.


Resumo da ópera? O protesto da Mancha Verde não é apenas um mero cunho de torcedor. Vai alèm do esporte. Vai ao ponto político e econônico, de interesse de alguns de seus superiores, que utilizam a torcida, para uma retribuição de apoio$. O que é uma pena. Quem tem a perder, é clube em meio a tudo isso. O torcedor de bem, seja de organizada ou 'desorganizada', poderá pagar a conta por culpa de cinco ou seis gatos pingados. Triste.










Foto: Reprodução/Estadão










por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados