A Mercedes não sabe perder?

09:40:00

O maior arranca rabo do automobilismo mundial no final de semana, ocorreu na etapa de Silverstone do Mundial de Fórmula 1. Logo após a largada, Lewis Hamilton que havia largado mal, tentava recuperar terreno perdido e foi tocado por Kimi Raikkönen na curva 3.

Na minha humilde opinião, Kimi que estava na parte interna da curva, freiou no limite extremo do carro para evitar o contato com Lewis, tanto que o 'Iceman' acabou travando a roda dianteira direita. Evitou ao máximo o toque, mas infelizmente ocorreu.

Ambos os pilotos foram prejudicados, em especial Hamilton. Vindo da última posição e com avarias no assoalho de seu carto, o piloto inglês galgou rapidamente as posições, e logo se recolocou no top-6 real da prova e categoria na atualidade, e no fim das contas acabou chegando em 2°.

Raikkönen sofreu uma punição de 10s - de certa forma injusta -. Foi um lance de corrida, mas cabível de punição. Mas há duas etapas, Sebastian Vettel deu um toque de danos e prejuízos maiores em Valtteri Bottas, logo após a largada do GP da França em Paul Ricard. Na ocasião, o piloto alemão da Ferrari teve um melhor resultado que o finlandês da Mercedes (5° x 7°), e uma punição INFERIOR a de Kimi, com 5s de penalidade.

Falta de critério por parte da Federação Internacional de Automobilismo? Total! A FIA até se posicionou logo após o entreveiro na França, dizendo que exigiria maior rigor por parte de seus comissários. De fato, o rigor foi aplicado e isso foi notado na punição aplicada ao campeão mundial de 2007. Mas o problema é que o toque de Vettel foi mais intenso e danoso, e no fim das contas, resultou em 'lucro' ao Vettel. Ou seja, deu certo 'tilt' nos comissários.

Isto posto, vamos ao segundo ponto da 'treta'. Que é por parte da Mercedes. A equipe alemã acusa o piloto da Ferrari de ter premeditado o toque para beneficiar seu companheiro de equipe. Toto Wolff, Team Principal da esquadra alemã, foi uma das pessoas mais incisivas a respeito.

“Foi um incidente de corrida com o Räikkönen. Paul Ricard foi a primeira vez em que fomos acertados e essa foi a segunda. Estamos falando de muitos pontos de Construtores. E isso só pode ser algo deliberado ou incompetência. Isso nos leva a fazer um julgamento”, completou Wolff.

Houveram prejuízos sim. Mas Nada proposital. Acho que a turma das flechas de prata, não está sabendo lidar com uma forte concorrência que antes não havia.

Não vejo algo premeditado nas tamanhas situações. Vettel errou, e jamais acertaria propositadamente Bottas, ou qualquer outro piloto. Foi um erro fora dos padrões de um dos tetra campeões da F1. Prefiro concordar com o 'chefão' alemão no aspecto positivo da questão.

“Foi uma recuperação incrível do Lewis. Ele estava em último e o segundo lugar foi o máximo que poderíamos alcançar para limitar nossos danos. Foi uma pilotagem fantástica dele”, encerrou Wolff.

Niki Lauda de forma mais comedida, também se mostrou contrário aos incidentes.

"O acidente foi injusto. Foi a segunda vez que uma Ferrari nos acertou na primeira curva. Isso não é engraçado", disse o consultor da equipe alemã.

O dia em que existir acidente justo, que se mudem as normas do automobilismo. Acidentes e incidentes fazem parte da vida. Não tolerá-los é algo no mínimo estranho.

Já pela parte ferrarista da situação, além de Raikkönen que pediu publicamente e pessoalmente desculpas à Hamilton, Sebastian Vettel se posicionou a respeito.

“É bobagem pensar que o que aconteceu foi deliberado”.

 
“Não acho que houve uma intenção e acho até mesmo que é desnecessário falar disso” afirmou Vettel.

Vettel foi simples, polido e perfeito. Evitou qualquer polêmica, assim como Valtteri Bottas que evitou comentar lado A ou B no caso.

Já o Team Principal da Ferrari, Maurizio Arrivabene, deu uma opinião mais quente sobre as acusações.

"Quem é incompetente? Kimi? Quem é ele para julgar o que os pilotos estão fazendo no carro? Se ele realmente dissesse algo assim, deveria se envergonhar. Allison - James que acusou incompetência e premeditação nos casos - trabalhou em Maranello por muitos anos, mas agora estamos aqui na Inglaterra ensinando-o a ser um cavalheiro. Eu aceito isso do Jacques Villeneuve [hoje comentarista da Sky Itália] porque ele era um piloto. Mas esse cara?", afirmou o chefe de equipe à Sky Sports Itália.

Em resumo, uma guerra de opiniões, com derrota para a Mercedes. Já diria Téo José: " Segue o fluxo!".






Foto: Reprodução







por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados