O novo ciclo do futebol fortalece bola aérea e contra ataque

19:47:00

A vida é feita de ciclos. Fases e modelos que a humanidade se reinventa. E isso, consequentemente cabe ao futebol. Os especialistas/analistas/comentaristas, falam com termologias de ataque  bloco, entre linhas, quadrantes a quatro e afins. Faz parte do futebol moderno, respeito e acompanho sobre. Mas a questão é falar de um jeito que o povão entenda. Ou seja, num resumão bem didático: Jogar no contra-ataque e ter uma boa bola parada (defensiva e ofensiva), são as melhores e mais úteis armas do atual futebol moderno.

Mas ter triangulações, apoio de laterais nas jogadas ofensivas e posse de bola? Ajudam, desde que você seja mais efetivo com ela. Coisas que não andam funcionando atualmente, devido a fortes sistemas defensivos e que aproveitam os erros do time que propõe atacar mais. A seguir, três exemplos básicos de o quanto a nova era do futebol chegou.


1° Bola parada - A qual na atual  Copa do Mundo, foi responsável até a fase quartas de final, por 45℅ dos gols que ocorreram em arenas russas.

2° Jogo reativo - Contra ataques. Esperar o adversário lhe atacar e aproveitar os erros defensivos, com velocidade e objetividade. Foi assim que a Bélgica eliminou o Brasil da atual Copa. Os belgas que durante as quatro partidas anteriores, tinham posse de bola maior que o adversário e tentam traduzir nisso, seu estilo de jogo visando gols e vitórias, abdicou de seu estilo, para jogar nos erros brasileiros - que não foram poucos -, e conseguirem um resultado histórico para seu país. De uma equipe que a duras penas eliminou a fraca seleção japonesa, com direito a un CONTRAGOLPE no minuto final de partida, utilizou da arma de jogar por 'algumas bolas' e vencer a equipe verde e amarela. Teve velocidade, técnica e agilidade para aproveitar as brechas deixadas pelo time verde amarelo, e conseguiu uma excepcional vitória.


3° Forte marcação - Que na Copa, muitos denominam de ocupação de espaço. Nada mais é que uma retranca que atrai o adversário, e se aproveita da velocidade para buscar em poucos toques, chegar a meta rival. Independente de esquema, é uma arma abruptamente aumentada. Seja no 5-4-1, 5-3-2, 3-5-2, 3-4-3, 46-578-1, a marcação que bloqueia trocas de passe do adversário entre a entrada da grande área e o gol, foi, é, e será cada vez mais vista mundo afora. Zagueiros como laterais, volantes que marcam muito e atacam muito/correm pra caramba, e atacantes de poucos toques na bola acelerando as jogadas, serão fatos que estarão de forma clara no novo ciclo do futebol.


Ou seja, ter mais posse de bola não significa mais um sinônimo de vitória um pouco mais próxima. Como a qualidade, jogadas individuais e tal posse de bola poderão mudar esse cenário? Apenas com sequência de ciclo para sabermos as respostas.














Foto: Getty Images









por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados