CRÔNICA: VAI QUE TÔ TE VENDO


O que seria do esporte se não existissem os aficionados?! 
O futebol só tem graça por causa dos seus torcedores, que cantam e vibram nas arquibancadas, nos bares, na rua. 
Da mesma forma, não existiria a Fórmula 1, o MMA, o Vôlei, se não houvessem os fanáticos torcedores a pedirem, freneticamente, o autógrafo dos seus ídolos, um abraço, um olhar, um simples gol, quiçá, um campeonato.
Assim, surge o VAI QUE TÔ TE VENDO!, um conglomerado de emoções alinhavadas por várias paixões, diversos pontos de vista, e um sem-número de emoções. 
As palavras vão surgindo a cada toque no teclado, enquanto as paixões vão se aflorando em torno de cada time, de cada grupo, de cada escuderia... 
Futebol, Fórmulas, lutas, até que tudo se dilua em discussões eternas, sadias, Românticas.
Não há que se falar em guerras, ainda que existam batalhas a serem vencidas, caminhos a serem percorridos, sonhos a serem alcançados, ainda que existam lutas a serem eternamente lutadas, no interminável confronto entre o bem e o mal.
 Dizem que há coisas que não se discutem, e entre elas eis a paixão de cada torcedor. Mas, sempre fomos do contra e, talvez por isso, ainda teimamos em discutir, em debater, em querer provar que sempre temos a razão, e somos os melhores.
E assim, homenageando o Pequetito e o nosso esporte, cresce o VAI QUE TÔ TE VENDO!, ampliando horizontes, eternizando paixões, criando uma nova forma de se pensar o esporte, com rivalidade e debates, mas com o respeito que é cabido ao esporte, à vida e, principalmente, aos seres humanos. 


Texto criado por: Elismar Santos